O GOVERNO DIVULGOU AS NOVAS ALÍQUOTAS DE CONTRIBUIÇÃO DO INSS DEFINIDAS NA REFORMA DA PREVIDÊNCIA. // AS NOVAS COBRANÇAS SÓ COMEÇAM A VALER EM MARÇO. // MUDOU BASICAMENTE O SISTEMA DE COBRANÇA, QUE AGORA SERÁ PROGRESSIVO. // NA PRÁTICA, O NOVO SISTEMA FARÁ COM QUE QUEM RECEBE MENOS, PAGUE MENOS, E QUEM RECEBE MAIS, CONTRIBUA MAIS. // O SISTEMA CONTA COM QUATRO FAIXAS DE CONTRIBUIÇÕES, QUE VÃO DE 7,5 POR CENTO A 14 POR CENTO. // ANTES HAVIAM TRÊS FAIXAS, QUE IAM DE OITO A 11 POR CENTO. // PARA CONTRIBUIR O MÍNIMO, 7,5 POR CENTO, O TRABALHADOR DEVE TER UMA REMUNERAÇÃO MENSAL DE ATÉ UM SALÁRIO MÍNIMO, MIL E 45 REAIS. // ACIMA DESTE VALOR ATÉ O TOTAL DE DOIS MIL E 89 REAIS E 60 CENTAVOS, O TRABALHADOR CONTRIBUI COM NOVE POR CENTO DO SALÁRIO. // PAGA 12 POR CENTO QUEM RECEBE ENTRE DOIS MIL E 80 REAIS E 61 CENTAVOS, A TRÊS MIL 134 REAIS E 40 CENTAVOS POR MÊS. // A ÚLTIMA FAIXA, QUE COBRA 14 POR CENTO SALÁRIO PARA A PREVIDÊNCIA, É PARA QUEM RECEBE DE TRÊS MIL 134 REAIS E 41 CENTAVOS A SEIS MIL 101 REAIS E SEIS CENTAVOS. // ANTES, A PORCENTAGEM ERA CALCULADA SOBRE O TOTAL DO SALÁRIO DO TRABALHADOR, AGORA ELA SERÁ PROGRESSIVA. // POR EXEMPLO, SE O SALÁRIO DO CONTRIBUINTE FOR DE MIL E 500 REAIS, ELE PAGARÁ 7,5 POR CENTO SOBRE MIL E 45 REAIS E NOVE POR CENTO SOBRE O RESTANTE, O QUE DARÁ UMA CONTRIBUIÇÃO DE 7,96 POR CENTO, TOTALIZANDO 119 REAIS E 33 CENTAVOS. // NO SISTEMA ANTERIOR, ESTE MESMO TRABALHADOR PAGARIA OITO POR CENTO SOBRE O SALÁRIO, OU SEJA, 120 REAIS PARA O INSS.  (Mega98fm)