Copasa debate nesta quinta-feira escolas transformadoras e atitudes socioambientais

0
190

Nesta quinta-feira (25/03), a Copasa prossegue com as atividades do Dia Mundial da Água, e realizará o lançamento do 2º Encontro Chuá Virtual, projeto do Programa Chuá de Educação Sanitária e Ambiental da Companhia. O evento, que será transmitido ao vivo pelo Youtube no canal da TVCOPASAMG, promoverá um fórum com o tema “Escolas Transformadoras – o papel e a importância de atitudes socioambientais da escola no compromisso com a valorização da água e do saneamento”.

 

O lançamento ainda terá abertura da temporada 2021 da Trilha Interpretativa, em modo virtual, do Centro de Educação Ambiental (Ceam Barreiro), da Copasa. O formato contempla em especial estudantes do Ensino Fundamental de escolas públicas e privadas e o acesso é realizado por meio da plataforma virtual adotada por cada escola.

 

As instituições de ensino e municípios contemplados no programa são: Escola Estadual Coronel Venâncio de Souza, de Águas Vermelhas; Escola Estadual Mary Lucca Chagas, de Caratinga; Escola Estadual Geraldo Bittencourt, de Conselheiro Lafaiete; Escola Estadual Capitão Esperidião, de João Pinheiro; e Instituto Metodista (Arca de Noé) – Imã Bilíngue, de Leopoldina.

 

Educação Cidadã

 

Dando continuidade às atividades do Dia Mundial da Água, a Copasa realizou, nesta quarta-feira (24/03), o webinar “Educação Cidadã: mobilização pelas águas”. Transmitido ao vivo pelo Youtube e disponível na íntegra no canal da TVCOPASAMG, o encontro digital reuniu agentes de transformação socioambiental que participaram do Projeto Piloto de Educação Ambiental Cidadã do Encontro Chuá Virtual, da Copasa, no ano passado.

 

Os trabalhos e projetos apresentados foram indicados pelas instituições de ensino que integraram o Chuá Virtual em 2020, que contou com a participação das seguintes escolas: Instituto Educacional Padre Ubirajara Cabral e Colégio Albertino Gonçalves dos Reis, de Alpinópolis; Escola Municipal Professora Nilce Moreira, de Conselheiro Lafaiete; Escola Estadual Doutor Péricles Vieira de Mendonça, de São João Nepomuceno; Escola Municipal Professora Dora Barbosa, de São João do Paraíso; Escola Estadual Presidente Tancredo Neves, de Taiobeiras; e Escola Professora Ana Letro Starks, de Timóteo.

 

O webinar foi mediado por Letícia Emanuele de Siqueira, aluna do 9º ano da Escola Municipal Nilce Moreira, de Conselheiro Lafaiete, que participou no ano passado do Projeto Chuá Virtual. Ela convidou cinco agentes de transformação socioambiental da Copasa para compartilhar suas experiências em diferentes projetos da área de comunicação e educação sanitária e ambiental. “É muito importante e inspirador conhecer e levar essas histórias adiante, para que a gente continue se movimentando cada vez mais para ajudar o meio ambiente”, afirmou.

 

Primeiramente, a bióloga Madalena Izabel Sousa Ferreira, de São João do Paraíso, palestrou sobre o projeto “Sementes do Paraíso”, que atua na recuperação de áreas do Cerrado por meio de metodologia da semeadura direta. Em seguida, o técnico agropecuário e especialista em gestão de recursos hídricos, Hélvio Lelis Araújo, do Imapear, de Taiobeiras, falou sobre o futuro da água no planeta, bem como o mapeamento e gestão dos recursos hídricos. Já o acadêmico de medicina veterinária, Enderson Barreto, de Conselheiro Lafaiete, discorreu sobre o trabalho do Grupo de Resgate de Animais em Desastre – GRAD.

 

O webinar ainda contou com a participação da geógrafa e especialista em saneamento e tecnologia ambiental, Maíra Fares Leite, coordenadora que apresentou o planejamento e o desenvolvimento das ações do Programa de Preservação e Recuperação de Mananciais da Copasa, o Pró-Mananciais. Por fim, a bióloga Cristiane Azevedo, fundadora do Arroxim Negócios Sustentáveis, abordou a temática de arranjos produtivos e destinação adequada do óleo usado de cozinha. Além dos agentes palestrantes, também foram apresentados depoimentos dos supervisores socioambientais da Copasa sobre os projetos de educação ambiental da Companhia que compõem o Programa Chuá.

 

No evento, o superintendente de Desenvolvimento Ambiental da Copasa, Nelson Guimarães, destacou a importância do saneamento, dos projetos ambientais e de educação ambiental junto às comunidades. “O acesso à água e ao saneamento importa a todos os aspectos da dignidade humana, indo da segurança alimentar até a segurança energética, passando também pela saúde ambiental e humana. Por isso acompanhamos com muita satisfação o desenvolvimento dessas ações transformadoras e inspiradoras”. Também citou a importância de ações da Copasa como o Programa Pró-Mananciais e o Chuá Virtual, que têm revolucionado a forma de atuação da empresa. “É um esforço coletivo para tratar melhor a questão da água, preservar os recursos hídricos e garanti-los para que a água esteja sempre disponível em quantidade e qualidade”, ressaltou.

 

Dia Mundial da Água

 

Durante a Semana da Água, a Copasa também está publicando, em suas redes sociais, fotos e vídeos de mananciais enviados por moradores de todas as regiões mineiras. São imagens feitas por empregados da Copasa, estudantes, representantes dos Coletivos de Meio Ambiente (Colmeia) de diversos municípios participantes do Pró-Mananciais, além de autoridades locais. Todos celebrando os mananciais que abastecem suas cidades. A programação completa e os conteúdos especiais da Semana da Água podem ser acompanhados pelas mídias sociais da Companhia.

 

O Dia Mundial da Água foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 22 de março de 1992. Com o objetivo de gerar debate e reflexões sobre a escassez de água em vários lugares do planeta, a ONU lançou a Declaração Universal dos Direitos da Água. Na época, a ONU já identificava o desperdício, a contaminação de mananciais e a falta de acesso à água potável em algumas regiões do mundo.

 

Composta por 10 pontos, a Declaração dos Direitos da Água Declaração tem como objetivo atingir a todos para que se esforcem a desenvolver o respeito aos direitos e obrigações nela anunciados e assumam, com medidas progressivas de ordem nacional e internacional, o seu reconhecimento e sua aplicação efetiva. Como recurso vital insubstituível, a água é um poderoso instrumento de organização sociocultural, geopolítica e econômica.

 

Ao descrever sua importância para a nossa sobrevivência, como patrimônio do Planeta, a ONU nos faz repensar como temos tratado esse bem tão precioso de maneira inconsequente, contaminando e fazendo uso indiscriminado, causando desequilíbrio ecológico pela demanda crescente e escassez, afetando cada vez mais lugares do planeta.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA