IMA lança programa para prevenção e controle do greening nos pomares de citros de Minas Gerais

0
344

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) órgão vinculado à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) fez hoje o lançamento do Programa Mineiro de Controle do Greening (PMCG). O programa tem o objetivo de alertar e dar suporte aos produtores de citros em Minas para o combate e manejo correto da praga Huanglongbing (HLB), conhecida como greening. Minas é o segundo maior produtor brasileiro de laranja (954 mil t) , tangerina (186 mil t) e limão (109 mil t). O lançamento do programa ocorreu em Belo Vale, município da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) que, juntamente com Campanha (Sul de Minas), são os dois maiores produtores de tangerina ponkan no estado e onde há relatos da praga. A fruta é comercializada para todo o Brasil. Considerada uma das mais severas e destrutivas pragas que podem acometer as plantações de citros em todo o mundo, o greening prejudica o desenvolvimento das plantas e a provoca a consequente perda na produção de frutos. A doença já foi registrada em pomares de São Paulo e do Paraná e, em Minas, está relatada oficialmente em 33 municípios. O secretário de Agricultura de Minas Gerais Pedro Leitão ressaltou a importância do programa na medida em que buscará proteger os pomares de Minas, garantindo ao estado manter a posição de destaque que possui como segundo maior produtor nacional de citros. “O agronegócio tem sido o suporte da economia nacional e cabe aos agentes públicos atuarem como parceiros para que o setor continue a gerar bons resultados”, disse. Armadilhas para insetos – O diretor-geral do IMA Marcílio de Sousa Magalhães informa que o programa terá diversas ações a serem desenvolvidas junto aos produtores rurais, responsáveis técnicos, professores, estudantes, autoridades, lideranças locais e regionais. “É necessário mobilizar os produtores e demais agentes do setor para o combate à praga, pois a união de esforços viabiliza sempre melhores resultados”, argumenta. O dirigente explica que entre as ações do programa está a distribuição de cerca de 98 mil armadilhas adesivas. Em cor amarela, elas serão colocadas nos pomares de forma a atrair os insetos transmissores (Diaphorina citri) popularmente conhecidos como psilídeos, que colam no adesivo e morrem. A aquisição das armadilhas foi viabilizada pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas (Seplag). As armadilhas são inspecionadas por duas vezes em 15 dias e vão identificar se os insetos capturados são os transmissores. Dependendo da quantidade de psilídeos que forem capturados deverá ser feito o controle químico na propriedade com o uso de agrotóxicos. As armadilhas serão distribuídas em abril e outubro para os produtores de Belo Vale e dos municípios vizinhos de Brumadinho, Piedade dos Gerais e Moeda, além de Campanha. “Essa distribuição inicial é uma forma do IMA apoiar e incentivar os produtores nesse primeiro momento do programa” diz. Posteriormente, as armadilhas deverão ser adquiridas pelos produtores ao custo de cerca de R$ 3 cada, informa. Treinamento dos pragueiros – O engenheiro agrônomo e gerente de Defesa Vegetal do IMA Nataniel Diniz Nogueira relata que o programa incluirá o treinamento de pragueiros, como são chamadas as pessoas que identificam os insetos a olho nu ou com lupa. Essas pessoas serão multiplicadoras da técnica de reconhecimento, iniciativa que contribuirá para o combate à praga. O treinamento terá a parceria do Senar Minas, que indicará profissionais a serem capacitados para atuar nas regiões afetadas. Nogueira explica que o IMA irá, também, realizar ações de orientação e sensibilização dos produtores para estabelecerem medidas de controle envolvendo o planejamento do plantio e a renovação dos pomares, aliado à aquisição e plantio de mudas sadias e da apresentação de relatórios semestrais de acompanhamento ao IMA. “ Vamos orientá-los também para a eliminação de plantas doentes e para que façam o monitoramento e controle da presença dos insetos transmissores, entre outras ações”, diz. Participaram do evento produtores rurais, prefeitos, lideranças locais, diretores da Seapa, o presidente da Epamig, Rui Verneque, da Emater-MG, Glenio Martins, e o secretário de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA